TRE Entrevista recebe Giuseppe Janino, matemático criador da urna eletrônica

Mentor do equipamento falou sobre as novidades para as Eleições 2020, entre outros temas

Três homens em um estúdio de rádio posam para foto.

O TRE Entrevista desta semana conversou com o secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Giuseppe Dutra Janino, um dos mentores da urna eletrônica. Ele foi recebido nos estúdios do Prado Velho pelo presidente da Justiça Eleitoral do Paraná, desembargador Gilberto Ferreira, e pelo secretário de Tecnologia da Informação do TRE-PR, Gilmar de Deus.

"A urna eletrônica é um das tecnologias mais importantes já inventadas no Brasil. Todos os brasileiros deveriam se orgulhar das nossas urnas, que conferiram economia e eficiência ao processo eleitoral graças à atuação visionária de pessoas como o Giuseppe", disse o presidente.

Voto para todos

O matemático e criador da urna eletrônica frisou que a eleição no Brasil ¿ que é a quarta maior democracia do planeta - é a maior informatizada do mundo. São mais de 480 mil seções eleitorais distribuídas em todo o território nacional, com pontos de votação de difícil acesso. "Em alguns locais, são necessárias duas semanas de barco para alcançar os eleitores. Ao proporcionar o acesso ao voto para todos, a tecnologia veio prestar um grande serviço à democracia", disse.

Para as Eleições 2020, o TSE prepara algumas novidades. "Estamos trabalhando com um novo modelo de engenharia da urna, que insere componentes de última geração para criptografia, assinaturas digitais e outros elementos relacionados à segurança, e também com um novo layout, mais ergonômico, que vai facilitar o voto do cidadão e minimizar os erros de digitação", antecipou. A interface intuitiva do equipamento, já assimilada pelos brasileiros, será mantida.

Conhecimento para a sociedade

O secretário de TI do TRE-PR lembrou o trabalho realizado neste ano sobre a segurança do voto eletrônico, em parceria com a Escola Judiciária Eleitoral (EJE), que promoveu palestras com informações técnicas em várias cidades do Paraná. "As pessoas chegavam com dúvidas e ao final do encontro diziam ¿agora eu entendi como funciona!", relatou. Ele demonstrou em cada apresentação que se existe possibilidade de falha em um ponto do processo, lá na frente há outro mecanismo para evitar que isso aconteça. "O processo é totalmente encadeado, lógico e seguro", afirmou. Segundo Gilmar, agora a Justiça Eleitoral do Paraná vai levar esse conhecimento para as universidades.

A entrevista completa pode ser acessada nos canais do TRE-PR no YouTube e no Spotify. Fique por dentro!

 

Texto: Melissa Diniz Medroni
Imagem: Gabriel de Almeida Viana
Coordenação: Rubiane Barros Barbosa Kreuz
CCS/TRE-PR

 

Siga-nos no Twitter, no Instagram e no Spotify

Curta nossa página oficial no Facebook

Acompanhe nossas galerias de fotos no Flickr

Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Últimas notícias postadas

Recentes

30 anos da volta da democracia

Lembrada como a mais democrática pelo chefe de cartório da 105ª Zona Eleitoral, a eleição de 1989 foi marcada pela candidatura de grandes personalidades e lideranças históricas