Com iniciativa inédita na Justiça Eleitoral, TRE-PR promove eleições sem fake news

Gralha Confere, que apurou 28 conteúdos em quatro meses, mobilizou sociedade paranaense no combate à desinformação

Montagem com várias notícias sobre a Gralha Confere

Em quatro meses de atividade, a Central de Combate à Desinformação Gralha Confere, iniciativa do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), desmentiu 22 notícias falsas, confirmou 4 conteúdos verdadeiros e explicou 2 dúvidas de repercussão geral, em um total de 28 apurações sobre a segurança das urnas eletrônicas, o processo eleitoral e legitimidade da Justiça Eleitoral.

De julho a novembro, a Gralha Confere recebeu 161 denúncias de fake news pelo WhatsApp. No período, o site do projeto teve mais de 45 mil visualizações e 33 mil visitantes únicos. Nas redes sociais do Tribunal, as 28 postagens foram visualizadas por mais de 309 mil pessoas. Só na página da Polícia Militar, uma das instituições parceiras que divulgou o projeto durante todo o período eleitoral, a marca Gralha Confere alcançou 5 milhões de pessoas por mês.

Eleições sem fake news

Na avaliação do presidente do TRE-PR, desembargador Tito Campos de Paula, a iniciativa possibilitou que as Eleições 2020 ocorressem sem transtornos graves causados por fake news no Paraná. “As instituições e a população comprometeram-se com o combate à desinformação e o resultado foram eleições tranquilas, nas quais prevaleceu nas urnas a vontade do eleitorado”, disse.

As checagens, disponibilizadas em formato de texto, cards, vídeos e áudios, desmentiram fake news como supostos ataques hackers a sistemas eleitorais, sobre o funcionamento da urna eletrônica, sobre a impossibilidade de eleitores votarem em casa durante a pandemia e até mesmo uma sentença falsa atribuída à juíza eleitoral de Jataizinho (PR), entre outros assuntos.

Continuidade

O projeto do TRE-PR, que conta com o apoio de 47 órgãos públicos, instituições acadêmicas, entidades civis e veículos de imprensa, terá continuidade após as eleições e será expandido para o interior do Paraná em 2021, para formalização de parcerias locais com vistas ao combate à desinformação nas Eleições Gerais de 2022.

Confira aqui a relação completa das instituições signatárias do Gralha Confere

Repercussão

Na semana anterior ao primeiro turno, a rádio CBN de Curitiba dedicou um horário fixo na programação a um tira-dúvidas ao vivo conduzido pelo âncora Fábio Buchmann com a equipe do Gralha Confere, para auxiliar o eleitorado a driblar fake news às vésperas das eleições. O TRE-PR também lançou uma cartilha para auxiliar a população a identificar notícias falsas.

A iniciativa do TRE-PR auxiliou na apuração de agências de checagem nacionais, como Lupa, AFP Checamos, Boatos.org, que utilizaram informações previamente divulgadas pelo Gralha Confere sobre um conteúdo falso, segundo o qual o voto seria facultativo para maiores de 60 anos – sendo que o voto é facultativo, conforme previsão constitucional, apenas a partir de 70 anos, bem como para analfabetos e maiores de 16 e menores de 18 anos.

Em outra situação, a Gralha Confere auxiliou a desmentir uma falsa mensagem sobre contagem de votos em dobro de vereadores, com informações que foram posteriormente utilizadas pelo site e-Farsas para comprovar que não houve alteração do resultado consolidado das eleições, mas a sobreposição momentânea de dados no sistema de divulgação, administrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Outro desdobramento do projeto foi o lançamento, pelo Instituto Mais Cidadania, do jogo Fake ou News aplicativo que conscientiza de forma lúdica sobre as consequências do compartilhamento de notícias falsas. As cartas do game sobre desinformação foram produzidas com base nas checagens do Gralha Confere.

A iniciativa também repercutiu no meio acadêmico, em especial com o apoio do Núcleo de Estudos em Direito Eleitoral da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que compartilha as checagens do projeto entre os estudantes de Direito da instituição. Nas redes sociais, a Gralha Confere também conquistou a adesão espontânea de jornalistas e influenciadores.

Responsabilidade e transparência

A Gralha Confere, primeira agência de checagens da Justiça Eleitoral brasileira, segue uma tendência do poder público de construir instituições eficazes, responsáveis e transparentes em todos os níveis, conforme Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 16 da Agenda 2030 das Nações Unidas. A Câmara dos Deputados mantém um projeto na mesma linha, o Comprove, assim como o Senado Federal, com o Senado Verifica.

Por causa do Gralha Confere, o TRE-PR foi convidado a participar de uma oficina com duração de dois meses de Combate Sistêmico à Desinformação, promovido pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e Instituto de Tecnologia e Equidade (IT&E). O Tribunal também promoveu uma edição no Paraná do evento Democracia Digital, talk show conduzido pela âncora da CBN nacional Petria Chaves, que reuniu autoridades, sociedade civil e imprensa para analisar os aprendizados no combate à desinformação adquiridos durante a pandemia.

Leia mais:

30.07 - Campanha do TRE-PR nas redes sociais ensina a identificar notícias falsas
22.07 - TRE-PR lança a Gralha Confere, primeira agência de checagem da Justiça Eleitoral
13.05 - TSE elogia Central de Combate à Desinformação do TRE-PR


Texto: Melissa Medroni

Arte: Victor Borges Machado
Revisão: Beatriz Tedesco
Coordenação: Rubiane Barros Barbosa Kreuz

CCS/TRE-PR


Siga-nos no Twitter, Instagram, SoundCloud e TikTok

Curta nossa página oficial no Facebook

Acompanhe nossas galerias de fotos no Flickr

Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Últimas notícias postadas

Recentes