Instagram
Youtube
facebook
Twitter

Imprensa

18 de agosto de 2017 - 18h47

TRE-PR-des-xisto-entrega-relatorio-min-gilmar

TRE-PR entrega ao TSE relatório que trata do rezoneamento

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, se reuniu nesta quinta-feira, 17, em Brasília – DF, com o ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para entregar a Resolução 777/2017, acompanhada de um relatório de 500 páginas elaborado pelo TRE-PR e aprovado, por unanimidade pela Corte Eleitoral, no último dia 14 de agosto. A referida Resolução aprovou a reorganização das zonas eleitorais no Estado do Paraná, em cumprimento à Resolução 23.520/2017, do TSE, que trata do rezoneamento das zonas eleitorais.

Ao longo dos últimos 75 dias, com o apoio irrestrito da Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar), da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), da União dos Vereadores do Paraná (Uvepar) e da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná (OAB-PR), foram realizadas audiências públicas em todos os municípios paranaenses e mais de cem prefeitos e perto de 200 vereadores se reuniram com o Des. Xisto Pereira para expressar a preocupação com a provável extinção de zonas eleitorais.

O apoio dos parlamentares paranaenses foi fundamental nesse período. Tanto no nível estadual como no federal. Tanto que o líder da bancada no Congresso Nacional, deputado Toninho Wandscheer, ao lado dos também deputados Rubens Bueno, Assis do Couto e Diego Garcia, acompanhou o presidente do TRE na entrega do relatório ao presidente do TSE. Bem como a ex-procuradora-geral de Justiça do Paraná e atual conselheira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Maria Tereza Uille Gomes, o diretor-tesoureiro da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e da prefeita de Farol – PR, Angela Moreira Kraus. Na hora da entrega do relatório, o governador do Paraná, Beto Richa, ligou para o min. Gilmar reforçando o apoio ao relatório do TRE paranaense.

Para o des. Xisto Pereira, “o maior prejuízo seria em municípios pequenos, com uma única zona eleitoral. Porque a fiscalização nas campanhas eleitorais enfraquece. A própria figura do juiz eleitoral inibe a prática de crimes”.

A última zona eleitoral criada no Paraná foi no ano de 1993, com o eleitorado estadual era de pouco mais de cinco milhões de eleitores. Hoje, 24 anos depois, com quase oito milhões de eleitores, a estrutura não sofreu alteração alguma. A proposta apresentada pelo TRE-PR prevê a extinção de 16 zonas eleitorais, assim distribuídas: três em Londrina, duas em Ponta Grossa e uma nos municípios de Apucarana, Arapongas, Cambé, Cascavel, Foz do Iguaçu, Ivaiporã, Maringá, Pinhais, São José dos Pinhais, Toledo e Umuarama. Com a redução, o Paraná passará a ter 190 zonas eleitorais.

Os eleitores não sofrerão nenhuma mudança em seus locais de votação. Todos continuarão votando nos mesmos locais e, caso haja necessidade de troca dos títulos por conta de algum remanejamento, eles serão entregues no dia da eleição quando eles comparecem para votar.

Na foto, da esquerda para a direita: Rubens Bueno, Angela Kraus, Maria Tereza, min. Gilmar, des. Xisto, Toninho Wandscheer, Diego Garcia e Nicola Jr.

Gestor Responsável: Assessoria de Comunicação Social +

Quem somos

Contatos