Audiência sobre auditoria de urnas foi realizada nesta quinta-feira (18)

A auditoria terá início às 8h desta sexta-feira (19)

tre-pr audiência urnas

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) realizou, nesta quinta-feira (18), às 14h, em sua Sala de Sessões, audiência pública sobre o procedimento de auditoria, programado para esta sexta-feira (19) a partir das 8h, no Fórum Eleitoral de Curitiba, que visa apurar ocorrências em urnas eletrônicas utilizadas no 1º turno das Eleições 2018.  A iniciativa tem como objetivo esclarecer a sociedade quanto à lisura do processo de votação eletrônica diante dos acontecimentos relacionados ao primeiro turno das Eleições 2018.

Serão auditadas as urnas da 1ª Zona Eleitoral de Curitiba pertencentes às seções 654, 655, 664 e 674, todas localizadas no Colégio Positivo Júnior; da 178ª Zona Eleitoral de Curitiba, a urna pertencente à seção 114, localizada no Colégio Angelo Volpato; da 9ª Zona Eleitoral de Campo Largo, a pertencente à seção 292, localizada na Escola Municipal Vereador José Andreassa. Ainda, passarão pelo processo de auditoria duas urnas de seções eleitorais localizadas em Santa Catarina: da 84ª Zona Eleitoral de São José, a urna pertencente à seção 225; e, da 100ª Zona Eleitoral de Florianópolis, a urna da seção 262.

O vice-presidente do TRE-PR e corregedor regional eleitoral, desembargador Gilberto Ferreira, que acumula o cargo de presidente da Junta Apuradora, disse que “A Justiça Eleitoral confia na plena lisura das urnas e na integridade de seus servidores. A urna eletrônica veio justamente para corrigir as possíveis fraudes que poderiam ocorrer no sistema antigo”. Ele ressaltou que, no primeiro turno, foram registradas 800 reclamações pelos mesários. Em um universo de mais de seis milhões de eleitores que compareceram às urnas no Paraná, isso significa que menos de 0,02% dos eleitores apresentaram algum tipo de queixa. “Todas essas reclamações evidentemente serão objeto de análise”, garantiu.

Parte dessa análise será realizada nesta sexta-feira (19), a partir das 8h. “Os auditores, na ocasião, vão responder a uma pergunta muito simples: os problemas apontados pelos eleitores foram decorrentes de algum tipo de fraude visando modificar a intenção do voto?”, destacou o desembargador. Para tanto, diante dos problemas relatados e da onda de notícias falsas que circularam pela internet colocando em dúvida a credibilidade das urnas eletrônicas, foi criada uma Comissão de Auditoria, formada por 3 técnicos do TSE, 3 técnicos do TRE-PR, 1 da Polícia Federal e 1 de cada partido com candidato presidenciável. O tribunal também designou uma comissão de autoridades e membros da sociedade civil para acompanhar os trabalhos de auditoria. Essa comissão é formada por representantes do Ministério Público Federal, OAB-PR, Comissão de Auditoria da Votação Eletrônica, Comissão de Segurança Permanente, Superintendência da Polícia Federal no Paraná, Associação das Emissoras de Rádio e Difusão do Paraná (AERP), redes de televisão do Paraná e Associação Paranaense de Imprensa (API). Isso tudo, de acordo com o desembargador Gilberto Ferreira, para garantir a maior transparência possível à auditoria.

Depois de concluídos os trabalhos, os laudos da auditoria serão apreciados pela Corte em sessão pública, de cujo resultado será dado o mais amplo conhecimento à população. O laudo das urnas de Santa Catarina será apreciado pela Corte daquele tribunal.

A fala de encerramento da audiência pública foi reservada ao presidente do TRE-PR, desembargador Luiz Taro Oyama. Assim como o TSE, o TRE-PR durante todo o ano atuou no combate às fake news, promovendo reuniões com os partidos políticos e a imprensa, além campanhas nas mídias sociais”, ressaltou o presidente, que reafirmou a total confiança que deposita no sério trabalho desenvolvido pelos servidores da Justiça Eleitoral.

Compuseram a mesa diretiva dos trabalhos o presidente do TRE-PR, desembargador Luiz Taro Oyama; o vice-presidente e corregedor regional eleitoral, desembargador Gilberto Ferreira; o vice-presidente e corregedor regional eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), desembargador Cid José Goulart Júnior; a promotora da 177ª zona eleitoral, doutora Andrea Vercesi Beraldi, representando a procuradora regional eleitoral do Paraná, Eloísa Helena Machado; os juízes-membros efetivos da Corte do TRE-PR desembargador Luiz Fernando Wowk Penteado, doutor Pedro Luís Sanson Corat, doutor Antônio Franco Ferreira da Costa Neto, doutor Paulo Afonso da Motta Ribeiro e doutor Jean Carlo Leeck; além do diretor-geral do TRE-PR, doutor Sérgio Luiz Maranhão Ritzmann.

Últimas notícias postadas

Recentes