Dia Mundial de Doação de Medula Óssea: juiz eleitoral fala sobre a experiência de salvar uma vida

Conheça a história do menino Weliton e do juiz eleitoral de Umuarama Marcelo Bertasso

Na primeira e na segunda foto o menino Weliton, e na terceira foto o Dr. Marcelo Pimentel Bertasso
Na primeira e na segunda fotos, o menino Weliton, e, na terceira foto, o juiz eleitoral Marcelo Pimentel Bertasso

O transplante de medula óssea é um tratamento para algumas doenças que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas, e cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias.

O transplante salva vidas como a do menino Weliton, de Nova Iguaçu (RJ), que teve síndrome de Wiskott-Aldrich, doença decorrente de imunodeficiência de tipo hereditária.

Ele fazia quimioterapia, que o deixava bem debilitado, até que houve a possibilidade de um transplante em 2016. Quem doou as células ao Weliton foi o juiz eleitoral de Umuarama Marcelo Pimentel Bertasso. “Eu havia me cadastrado como doador em 2011, por incentivo de um amigo próximo que teve leucemia na época”, conta o magistrado.

A doação foi realizada em Belo Horizonte, conforme orientação do Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME). Marcelo foi três vezes à capital mineira para exames, consulta pré-operatória e para a doação em si.

Segundo ele, a cirurgia para retirada das células é simples. “O procedimento acontece com anestesia e depois você faz um tratamento com vitaminas e ferro”, conta. O REDOME custeia todos os gastos durante o processo de doação.

Após dois anos do procedimento, é possível saber quem foi o (a) receptor (a). Marcelo, hoje em dia, mantém contato com a mãe de Weliton. O menino está curado. “Recomendo a todo mundo que puder que faça o cadastro porque, além de ajudar, você pode passar por essa experiência, ter essa sensação gratificante”, finaliza.

Critérios para doar

- Ter entre 18 e 35 anos de idade;
- Estar em bom estado geral de saúde;
- Não ter doença infecciosa ou incapacitante;
- Não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico;
- Algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Para se cadastrar é só ir até o banco de sangue mais próximo com documento original de identidade e preencher um formulário. Além disso, será necessária a coleta de uma amostra de sangue (5 ml) para testes de compatibilidade.

Doação em queda

No ano passado, o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME) teve uma queda no número de cadastros de voluntários (as). Em 2019, o total de novos (as) doadores (as) cadastrados (as) foi de mais de 291 mil, enquanto em 2020 o número não chegou a 230 mil, uma queda de 21,37%. Os números vinham crescendo desde 2017.

Pratique esse gesto de amor!


Texto: Caroline Campos de Oliveira

Imagens: Arquivo pessoal
Tratamento de imagem: Natália Elena de Sousa
Revisão: Melissa Diniz Medroni e Beatriz Tedesco
Coordenação: Rubiane Barros Barbosa Kreuz
CCS/TRE-PR


Siga-nos no TwitterInstagramSoundCloudTikTok e LinkedIn

Curta nossa página oficial no Facebook

Acompanhe nossas galerias de fotos no Flickr

Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Últimas notícias postadas

Recentes